PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

14.09.2021 - 17:16 Por Leon Lucius e Gustavo Natario

APOSENTADORIA: GOVERNO AJUSTA MENSAGENS DO REGIME DE RECUPERAÇÃO FISCAL

  • Por Thiago Lontra

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) recebeu, nesta terça-feira (14/09), duas mensagens do Governo do Estado com ajustes na proposta de Reforma da Previdência, dentro do pacote de contrapartidas do novo Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Os textos serão analisados e emendados pelos parlamentares durante as próximas semanas, com previsão de serem votados até o início de outubro.

Pela nova redação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 61/21, fica garantida aposentadoria integral aos agentes socioeducativos e carcerários e aos policiais civis que ingressaram até 03 de setembro de 2013. Eles terão direito à paridade salarial, com reajuste do benefício acompanhado de todo reajuste salarial dos servidores ativos. A idade mínima será de 55 anos, para homens e mulheres.

No texto anterior, estes agentes estariam submetidos às mesmas normas propostas para os servidores que ingressaram a partir de 04 de setembro: 55 anos de idade mínima; 25 anos de contribuição para as mulheres e 30 para os homens; 15 anos em cargos policiais para as mulheres e 20 para os homens. O valor da aposentadoria desses profissionais será definido por lei complementar.

Abono permanência

Outra mensagem do governo alterou a proposta do PLC 47/21, sobre a concessão do abono permanência. Na primeira versão, o benefício estava vinculado à disponibilidade orçamentária e a regulamentação de cada poder e autarquia. O que foi avaliado, na prática, como uma vedação. Essa vinculação foi retirada do novo texto. O benefício é concedido aos servidores que já tenham idade para se aposentar, mas decidam permanecer em serviço.

“Se você tirar o abono do policial, por que ele vai ficar na ativa se ele pode receber o mesmo salário aposentado? Com isso, além da despesa previdenciária, o Estado vai ter a despesa de contratar outro profissional”, comentou o presidente da Casa, deputado André Ceciliano (PT).

Nesta quinta (16), as comissões de Constituição e Justiça, de Tributação e de Servidores Públicos discutem, a partir das 10h, as duas propostas em audiência pública.

FacebookTwitterGoogle+ Email