PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

13.12.2019 - 18:25 Por Luan Damasceno

PAINEL DE CULTURA FLUMINENSE É APRESENTADO NA ALERJ

1/1
  • Por Rafael Wallace
    Comissão de Cultura da Alerj apresenta o PAINEL DE CULTURA FLUMINENSE
  • Por Rafael Wallace
    Os deputados Luis Paulo (PSDB) e Eliomar Coelho (PSol) durante audiência da Comissão de Cultura da Alerj
  • Por Rafael Wallace
    Representando a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro (SECEC-RJ), o assessor Adenilson Honorato
  • Por Rafael Wallace
    Comissão de Cultura da Alerj apresenta o PAINEL DE CULTURA FLUMINENSE
  • Por Rafael Wallace
    Comissão de Cultura da Alerj apresenta o PAINEL DE CULTURA FLUMINENSE

Cacique de Ramos, Quilombo de Bongaba, Sarau Oriki, Rezadeiras de Trajano de Moraes, Festa do Tomate, Festival do Vale do Café, Clube Palmares, Circuito do Forró, Armazém das Artes, Fado de Quissamã e Jongo de Porciúncula. Essas foram algumas das 362 manifestações culturais demonstradas no “Painel da Cultura Fluminense 2019”, que foi apresentado pela Comissão de Cultura, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), na tarde desta sexta-feira (13/12), no auditório Senador Nelson Carneiro, no prédio anexo ao Palácio Tiradentes.

O painel buscou valorizar as manifestações das culturas populares, de matrizes africanas e indígenas, do carnaval e do artesanato, por terem sido as mais presentes nas audiências regionais de escutas realizadas. Na cartilha, que traz um relatório do trabalho da comissão neste ano, foram mapeadas as 10 regiões do estado.

A campeã da diversidade é a Capital Fluminense, com 50 pontos de cultura, seguida do Centro-Sul e Baixada Fluminense, com 39 cada uma. Juntas, as regiões Serrana, Médio Paraíba e Baixadas Litorâneas possuem 111 referências culturais. No painel foram relatadas ainda 64 manifestações no Noroeste e na Costa Verde; e no Norte foram registrados 30, uma a mais que no Leste Fluminense.

O presidente da Comissão de Cultura, deputado Eliomar Coelho (PSol), destacou que enviará o painel às instâncias competentes para que o acesso à Cultura seja facilitado. “Este trabalho é fruto do empenho das pessoas em fazer com que a política da cultura no estado se revigore e esteja mais presente. Encaminharemos esse mapeamento ao Governo do Estado, às secretarias municipais e estadual, às prefeituras e câmaras de vereadores de todo Estado do Rio. Nós queremos a divulgação mais ampla possível para que se entenda de uma vez por todas a importância da cultura”, afirmou o parlamentar.

Já para Jorge Ayer, presidente do Fórum Serrano de Cultura, a falta de transparência nos incentivos estaduais é um problema. “Quando falamos de cultura, falamos de gente. Precisamos valorizar a arte para além do fator econômico, porque ela é fundamental para a formação da identidade humana. Que, com esse painel apresentado hoje, consigamos construir instâncias de integração com o poder público para, assim, tornar a cultura acessível”.

Representando a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro (SECEC-RJ), o assessor Adenilson Honorato informou, em nota da nova secretária da pasta, Danielle Barros, que ela se empenhará na integração cultural no interior fluminense.“A secretaria está muito motivada para tocar diversos projetos, sobretudo no interior, levando produções, programas e projetos para todo estado. O foco será, também, a recuperação dos espaços públicos, os equipamentos já existentes e dando a público uma cultura mais pulsante e ativa".

O deputado Luiz Paulo (PSDB) também participou da reunião.

FacebookTwitterGoogle+ Email