PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

18.02.2020 - 14:32 Por Gisele Araújo

FÓRUM DA ALERJ: BANCO DE DADOS SIDRA AUXILIA NA FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS ASSERTIVAS

1/1
  • Por Octacílio Barbosa
    PALESTRA DO IBGE NA ESCOLA DO LEGISLATIVO
  • Por Octacílio Barbosa
    PALESTRA DO IBGE NA ESCOLA DO LEGISLATIVO
  • Por Octacílio Barbosa
    O representante do IBGE, Carlos Lessa

O sistema é do IBGE e reúne mais de dois bilhões de informações.

Permitir o acesso a informações sobre as características socioeconômicas do país para que projetos de lei, políticas públicas e estudos acadêmicos possam ser criados. É o que propõe o banco de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), conhecido também como Sistema de Recuperação Automática (Sidra). Pensando nisso, o Fórum de Desenvolvimento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realizou nesta terça-feira (18/02) um workshop, ministrado pelo analista de informações científicas e geoestatisticas do IBGE, Carlos Lessa, que abordou o levantamento de dados disponíveis na plataforma interativa.

O banco de dados Sidra é construído com base no tripé tempo, território e variável. E funciona por meio de tabelas multidimensionais, onde mais de dois bilhões de informações estão disponíveis de forma gratuita na internet. Os dados são fruto de pesquisas realizadas pelo IBGE, como o Censo Demográfico e Censo Agropecuário, e tem papel fundamental na criação de projetos de leis e acompanhamento de políticas públicas.

“O Sidra é o maior sistema de informações gratuitas existentes no Brasil. Saber buscar e utilizar essas informações é primordial. Nos vivemos uma era onde a informação tem peso muito grande e onde todas as decisões devem ser baseadas em informações. Tudo passa pelo conhecimento da realidade da população e, para isso, o parlamento estadual precisa conhecer as condições de vida do cidadão a fim de propor leis que ajudem a sociedade, comentou Lessa.

Estiveram presentes no encontro funcionários da Alerj e representantes de municípios fluminenses. A secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, defendeu a necessidade de servidores e representantes públicos estarem atentos à plataforma de dados.

“Hoje em dia é muito comum políticas públicas baseadas em evidências, por isso é tão importante conhecer o banco de dados do IBGE, nosso órgão oficial e que faz o censo e mais uma série de pesquisas. Tentamos trazer para o Fórum Capacita essas informações e aproveitar a expertise das entidades que acompanham o fórum, como o IBGE, para poder capacitar o nosso publico interno e o os representantes dos municípios e, assim, conhecer mais de perto esse banco de dados e propor políticas públicas baseadas na realidade que os dados mostram”, evidenciou.

Censo Demográfico

No segundo semestre de 2020, o IBGE iniciará a coleta de dados para o novo Censo Demográfico pelo país. Serão cerca de 230 mil vagas de trabalhos temporários para todo o país. Para Geiza Rocha, é uma ótima oportunidade para aquecer o setor trabalhista do estado.

"É importante nos aproximarmos do IBGE e mostrar a importância do impacto da geração de emprego. Só em relação ao levantamento de informações no Estado do Rio, temos mais de mil vagas temporárias que serão abertas pelo órgão. Então, é importante ficar de olho no calendário e acompanhar de perto para podermos trazer informações bacanas sobre ações nas quais podemos nos engajar", destacou Geiza.

 

 

FacebookTwitterGoogle+ Email