PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

28.11.2017 - 14:57 Por Buanna Antunes

VARIG: ADVOGADO AFIRMA QUE COMPANHIA APLICOU A MAIOR FRAUDE TRABALHISTA DO PAÍS

1/1
  • Por Rafael Wallace
    CPI da Varig
  • Por Rafael Wallace
    O presidente da CPI da Varig, deputado Paulo Ramos (PSol)
  • Por Rafael Wallace
    O Dr. Paulo Calazans em depoimento durante a CPI da Varig


Advogado e ex-piloto da VARIG, Paulo Murillo Calazans afirmou que a companhia aérea aplicou a maior fraude trabalhista do país. A informação foi divulgada durante audiência pública da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que investiga a falência da empresa, nesta terça-feira (28/11). Segundo Calazans, mais de 12 mil funcionários foram prejudicados com a falência da empresa, decretada em 2010.

Para o advogado, a companhia errou ao ter alienado todos os ativos que poderiam satisfazer os créditos trabalhistas dos ex-funcionários. "Era necessário que fosse resguardado créditos para pagamento de natureza trabalhista. No entanto, quase a totalidade dos ativos foram alienados para terceiros por um preço irrisório. Na ocasião, tudo foi vendido por R$ 60 milhões, quando a dívida trabalhista estava estimada na época em R$ 800 milhões, absolutamente insuficiente para pagar todos os credores", ponderou.

O presidente da comissão, deputado Paulo Ramos (PSol), disse que a CPI vai continuar apurando os fatos. "A cada dia fica mais claro o que houve com a Varig. Foi um crime perpetrado com o objetivo de aniquilar uma empresa que tinha um papel importante para a nossa soberania e para a aviação brasileira. Mas as apurações da comissão ainda vão continuar", concluiu Paulo Ramos.

FacebookTwitterGoogle+ Email