PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

04.02.2019 - 20:24 Por Gustavo Natario

ALERJ COMEMORA ANO NOVO CHINÊS

1/1
  • Por Julia Passos
  • Por Octacílio Barbosa
    ALERJ COMEMORA ANO NOVO CHINÊS
  • Por Octacílio Barbosa
    A deputada Tia Ju (PRB) e o Cônsul Geral da China no Rio de Janeiro, Li Yang
  • Por Octacílio Barbosa
    ALERJ COMEMORA ANO NOVO CHINÊS

O Ano Novo Chinês foi comemorado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta segunda-feira (04/02). O evento teve apresentações artísticas de flauta chinesa e de um dragão e um leão chineses, a abertura de duas exposições sobre o país e uma solenidade com autoridades, como o Cônsul-geral da China no Estado do Rio de Janeiro, Li Yang. A iniciativa foi da deputada Tia Ju (PRB), autora da Lei 7.471/16, que instituiu o Ano Novo Chinês no calendário oficial do Estado do Rio.

O modelo de comemoração do Ano Novo chinês é adotado por diversos países do Oriente que seguem um calendário tradicional distinto do ocidental. Sendo assim, o ano de 4.717, começará nesta terça-feira (05/02).

"A China é parceira do Brasil em diversos aspectos e fiquei surpresa em saber que o Estado do Rio ainda não comemorava a data, por este motivo fui autora desta lei. Queremos cada vez mais aumentar os laços com o país e com a grande comunidade chinesa que vive no Rio. O objetivo é que tenhamos festas tão grandes como as realizadas em São Paulo", afirmou Tia Ju.

A parlamentar entregou ao cônsul da China, Li Yang, o Diploma de Mérito Legislativo. "Está é uma demonstração de que o Brasil e a China tem uma importante e amigável relação diplomática. Comemorar o Ano Novo Chinês, principal evento cultural da China, no Estado do Rio é fundamental para trazer mais turistas chineses ao Brasil. Queremos aumentar os eventos culturais para que nossos turistas se sintam em casa", declarou o cônsul.

A comunidade chinesa no Rio de Janeiro é estimada em mais de 20 mil cidadãos. Principal parceiro comercial do Brasil, tem aproximadamente 43 empresas chinesas de médio e grande porte e o volume de negócios, entre os dois países amigos, atinge cerca de 100 bilhões de dólares.

Durante o evento, aconteceu a apresentação do dragão e do leão chineses, comandada pela Associação Gonçalense de Kung Fu Garra de Águia. Segundo o Mestre Sérpio Silva, que organizou a apresentação, esta parte da cultura chinesa simboliza força, poder e união entre os povos. Ele também explicou que este será o ano do porco segundo o calendário chinês. "O porco é o animal que fecha o ciclo do horóscopo chinês. Será um ano para refletir sobre tudo o que já aconteceu na vida de cada pessoa" afirmou.

A solenidade lotou o Plenário Barbosa Lima Sobrinho. O correspondente da Rádio Internacional Chinesa, Huo Guo, afirmou que sente falta de manifestações culturais chinesas no Rio. “Moro na cidade há mais de dois anos. Amo o Rio e me sinto seguro aqui. Não vejo muito violência como falam. A cidade é linda, um grande patrimônio cultural. Mas realmente não há quase nenhum evento chinês na cidade. Fiquei feliz com essa comemoração”, afirmou.

Presente na solenidade, o secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa, Ruan Lira, anunciou que o Estado do Rio deve receber dois eventos da cultura chinesa ainda este ano – o Festival Internacional de Pipas e o Festival Internacional de Lanternas. “O novo governo está em contato com o Consulado da China desde que foi eleito. Recebemos uma comitiva da cidade de Weifang e estamos tentando organizar esses dois importantes festivais ainda este ano. O objetivo é estreitar cada vez mais as relações com a China”.

Exposições

Na ocasião, também foram inauguradas no Salão Nobre do Palácio Tiradentes as exposições de fotografias "40 anos da Reforma e Abertura da China" e "Cinturão e Rota da Seda". As mostras, parte das comemorações e celebração do Ano Novo Chinês, foram idealizadas pelo Consulado Geral da China no Rio de Janeiro com o objetivo de integrar a comunidade chinesa no Estado. As fotografias retratam a abertura econômica da China, que se iniciou no final da década de 70, a partir do governo de Deng Xiaoping, bem como o desenvolvimento tecnológico do país e a integração com os outros povos. As obras poderão ser visitadas até 15 de fevereiro, no Salão Nobre, das 10h às 17h.

Ano Novo Chinês

O calendário chinês, mais antigo registro cronológico conhecido, segue o padrão lunissolar, que é definido levando em consideração as fases da lua e a posição do sol. Por essa razão, o primeiro dia varia de acordo com os movimentos desses astros. O Ano Novo Chinês começa na noite da lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo quinto grau de Aquário. Este ano, que no calendário oriental é 4.717, é o Ano do Porco, um dos 12 animais do zodíaco chinês. Segundo a tradição chinesa, o porco é considerado um animal inteligente, com bom comportamento e pode trazer riqueza para as pessoas.

A data é cercada por tradições e simbolismos para o povo chinês. No último dia do ano é comum que as pessoas limpem suas casas para afastar os maus espíritos. Os chineses também costumam se reunir com familiares e pessoas próximas para celebrar o último jantar do ano. À meia noite, durante a virada do ano, a tradição é comer um bolinho recheado de carne de porco, conhecido como guioza. As pessoas mais velhas também dão presentes aos mais jovens, que normalmente são quantias de dinheiro dentro de um envelope vermelho, cor que representa a fortuna e o sucesso na cultura oriental. As celebrações do ano novo chinês duram quinze dias, terminando no Festival das Lanternas, que marca o início da primeira lua cheia do ano.

Serviço:

Exposições: "40 anos da Reforma e Abertura da China" e "Cinturão e Rota da Seda".

Horário: Segunda a sábado, das 10h às 17h. Feriados, das 12h às 17h.

Endereço: Rua Primeiro de Março, s/nº- Praça Quinze. Tel: (21) 2588-1251.

O acesso para cadeirantes é feito pela Rua Dom Manuel, s/nº.

Entrada Franca.

FacebookTwitterGoogle+ Email