PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

11.10.2017 - 15:43 Por Leon Lucius

"PLANO VERÃO" DE ENERGIA COMEÇARÁ MAIS CEDO NA REGIÃO DOS LAGOS

1/1
  • Por Thiago Lontra
    Comissões de Minas e Energia e de Defesa do Consumidor
  • Por Thiago Lontra
    Comissões de Minas e Energia e de Defesa do Consumidor
  • Por Thiago Lontra
    Luiz Martins (PDT)
  • Por Thiago Lontra
    Relações institucionais Enel,Cláudia Guimarães
  • Por Thiago Lontra
    Prefeita de Iguaba Grande, Grasiella Magalhães

Início era planejado para dezembro e o objetivo é evitar quedas de energia durante a alta temporada de turistas na região

Durante os períodos de alta temporada, como férias e feriados, a Região dos Lagos recebe um grande número de turistas, o que aumenta o consumo de luz e cria mais instabilidade no fornecimento elétrico. Pressionada pelos parlamentares, a Enel, empresa concessionária responsável pela distribuição de energia na região, irá começar o chamado Plano Verão mais cedo este ano, já no dia 30 de outubro. A decisão foi anunciada, nesta quarta-feira (11/10), durante audiência pública conjunta das comissões de Defesa do Consumidor e de Minas e Energia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

De acordo com Cláudia Guimarães, diretora de Relações Institucionais da Enel, o plano é, basicamente, um reforço em todas as operações da empresa, aumentando o número de efetivos e intensificando a atuação de equipes multidisciplinares e motociclistas, que poderão chegar aos locais mais isolados com maior rapidez. “Ele estava planejado para começar na primeira quinzena de dezembro e o aumento previsto das equipes é de 30%. No último ano o plano foi muito bem sucedido e é um trabalho de reforço em virtude do aumento populacional na região”, explicou.

O presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, deputado Luiz Martins (PDT), disse que o Ônibus da Defesa do Consumidor, quando esteve na região, recebeu muitas reclamações quanto ao fornecimento de energia e destacou o trabalho a ser feito após a audiência. “Nós conseguimos esse adiantamento da operação do verão, mas isso não acaba aqui, pois os deputados continuarão cobrando nos municípios”, declarou.

A Enel ainda enviará à comissão, dentro de quinze dias, um plano de extensão de atendimento às comunidades carentes e um de combate ao desperdício de energia.

Quedas de energia

Durante a audiência, a Enel explicou que o tempo médio de reparação após a queda no fornecimento de energia é de cerca de quatro horas, de acordo com dados analisados até agosto deste ano. No mês seguinte, no entanto, o município de Iguaba Grande registrou uma queda de energia de 12 horas entre os dias 29 e 30, como contou a prefeita da cidade, Grasiella Magalhães.

“Foi uma situação que trouxe indignação para a população, que teve sua energia cortada, ocasionando perda de alimentos, medicamentos e eletrodomésticos. As pessoas esperam da prefeitura uma solução e eu acho que a gente conseguiu cumprir o nosso dever, mas vamos continuar cobrando”, declarou.

Claúdia Guimarães, da Enel, explicou que, no período, a Região dos Lagos sofreu com o tempo seco, salinidade e ventos que alcançaram 90 km/h, contribuindo para um processo de oxidação das estruturas. “Nós antecipamos o plano de manutenção para substituição dos equipamentos de forma emergencial e já iniciamos a lavagem da rede”, explicou.

Ação civil pública

Ventos, salinidade e tempo seco, por outro lado, não são novidade na região, como pontuou o deputado cabofriense Jânio Mendes (PDT), que solicitou a audiência. O prefeito de Arraial do Cabo, Renatinho Vianna, cobrou que a concessionária tenha um planejamento que contemple essas características e contou que o turismo do município tem sofrido, assim como os distritos mais distantes.

“Nós tivemos uma reunião entre os prefeitos e seus representantes e estamos muito otimistas em obter êxito na resolução do problema. Mas temos o nosso plano B, de unir as prefeituras em uma ação civil pública caso não haja melhorias”, revelou.

A Enel ainda apontou a interferência das linhas clandestinas, o famoso “gato”, na qualidade do serviço prestado. De acordo com a empresa, além de apresentar risco à vida das pessoas, a prática, que é crime, provoca o superaquecimento dos equipamentos, ocasionando oscilação e queda no fornecimento. Ainda estiveram presentes os deputados Márcia Jeovanni (DEM) e Fatinha (SDD).

Investimentos

Em todo o estado do Rio de Janeiro, a Enel investiu, no primeiro semestre de 2017, 15% a mais em melhorias do que no mesmo período de 2016. Neste ano, os investimentos previstos só para a Região dos Lagos chegam a cerda de R$ 80 milhões. As principais inovações dizem respeito à modernização da rede, com a instalação de telecontroles, que permitem resolver, de maneira automática, um problema de fornecimento por defeitos nos cabos de maneira mais rápida; a criação de dois “centro-satélites” de distribuição na região; e a previsão de inspeção com uso de helicóptero, que permitiria analisar, em um dia, uma área que levaria três meses por via terrestre.

Além disso, há a previsão de ser entregue, já em novembro, uma segunda linha de transmissão para a região. Podas de árvores, correção de defeitos e troca de componentes também estão planejados.

FacebookTwitterGoogle+ Email