PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

26.06.2020 - 16:47 Por Gisele Araújo

PARLAMENTO JUVENIL DA ALERJ DEBATE COM SECRETÁRIO PEDRO FERNANDES OS EFEITOS DA PANDEMIA NA EDUCAÇÃO

1/1
  • Por Reprodução de Tela
    PARLAMENTO JUVENIL DA ALERJ DEBATE COM SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO OS EFEITOS DA PANDEMIA NA EDUCAÇÃO
  • Por Reprodução de Tela
    Pedro Fernandes, secretário estadual de Educação
  • Por Reprodução de Tela
    Renan Ferreirinha, deputado e coordenador do programa Parlamento Juvenil da Alerj

Saúde mental, dificuldade de acesso à plataforma de ensino remoto, principalmente na Zona Rural do estado, e reforço escolar foram os principais temas discutidos pelos Jovens Parlamentares, integrantes da 12° edição do Parlamento Juvenil da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), em uma reunião com o secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes. O debate aconteceu nesta sexta-feira (26/06), por meio de videoconferência.

Durante o encontro, os jovens parlamentares puderam expor as condições de ensino de suas regionais de educacionais e também fazer sugestões para a melhoria da educação do estado. Foi o caso do jovem Carlos José, representante da regional da Baixada Fluminense, que além de relatar situações de alunos que tiveram a saúde mental prejudicada durante a pandemia, pediu explicações sobre a verba destinada para a alimentação estudantil.

O secretário Pedro Fernandes comentou sobre o cenário e as estratégias que a Secretaria de Educação do Estado do Rio (SEEDUC) está enfrentando para melhor atender aos alunos e profissionais de educação em meio a cortes de orçamento. E explicou que a verba, que antes era destinada para a alimentação apenas dos estudantes de baixa renda, agora, por uma definição da Defensoria Pública, é destinada a todos os 700 mil alunos da rede pública de ensino.

"Tivemos um corte de orçamento de mais de 30%, mas a Secretaria de Educação visa priorizar a alimentação e o pagamento dos salários dos professores. Nesse momento, nosso orçamento é deficitário e estamos fazendo manobras para chegar até o fim do ano sem que essas áreas sejam afetadas", declarou Fernandes.

Sobre a dificuldade de acesso à internet que muitos alunos estão enfrentando para realizar as atividades escolares pela plataforma Google Classroom, o secretário destacou a falta de estrutura nas redes cibernéticas e de tecnologias não só no Rio de Janeiro, como no país inteiro.

"Infelizmente, esse é um problema que o país está enfrentando e não tivemos muito tempo para nos preparar para essa situação. Aqui no Rio de Janeiro mais de 80% dos nossos professores não tinham experiência com ensino remoto e automaticamente está sendo novo para todos. Estamos sempre em contato com a direção das escolas para auxiliar no treinamento de todos os profissionais", defendeu.

Ainda segundo o secretário, o Rio está cumprindo na íntegra todas as exigências que o Ministério da Educação e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (Unesco) estabeleceram como normativa para que o processo de aprendizado seja validado.

"É importante pontuar que a plataforma é apenas um dos instrumentos que estão sendo utilizados. O aluno que não está conseguindo acompanhar pela internet pode ver as vídeo aulas disponibilizadas pela TV aberta, pode acompanhar pelo material adaptado para os grupos de whatsapp especiais, canais de youtube e apostilas que foram disponibilizadas para os alunos via entrega dos Correios, e também disponíveis em links. Os alunos que não tiverem condições de baixar as apostilas poderão imprimir em suas respectivas escolas", disse Fernandes.

A Secretaria de Educação também disponibilizou nas escolas uma apostila com e-mail e telefone de centros de saúde por meio da qual os estudantes possam encontrar apoio psicológico.

O deputado Renan Ferreirinha (PSB), coordenador do Parlamento Juvenil, responsável pela articulação dessa reunião entre os PJ's e a SEEDUC, destacou a importância de dar o protagonismo aos jovens que são líderes e estão à frente da luta pela educação básica de qualidade no estado.

"Hoje, tivemos um trabalho muito importante e gostaria de agradecer aos PJ's todo o ativismo e interesse em promover esse debate. O trabalho da Alerj e da Secretaria de Educação é de ser uma plataforma de suporte para que os mais de 700 mil alunos da rede estadual possam ter acesso a uma educação de qualidade. A Alerj está inteiramente à disposição", afirmou o parlamentar.

Ao fim da reunião ficou definido que os Jovens Parlamentares irão encaminhar à SEEDUC todas sugestões para que a secretaria possa avaliar com cautela as demandas apresentadas por eles. Para a presidenta da 12° edição do Parlamento Juvenil, Maísa Roberta, representante do município de Rio Bonito, a reunião foi positiva.

"É muito bom saber que a SEEDUC se importa em dar voz aos estudantes. No que depender de mim, como presidente do PJ e aluna da rede pública, os estudantes sempre terão voz", disse Roberta.

FacebookTwitterGoogle+ Email