PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

26.05.2020 - 16:19 Por Gisele Araújo

FÓRUM DA ALERJ DEBATE DEMANDAS DO SETOR DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

  • Por Reprodução de Tela
    FÓRUM DA ALERJ DEBATE DEMANDAS DO SETOR DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

A defesa de incentivos ao setor de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) foi um dos temas abordados na reunião realizada nesta terça-feira (26/05) pelo Fórum de Desenvolvimento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). A videoconferência faz parte de uma série de debates realizados pela Casa para discutir o impacto da pandemia do novo coronavírus no estado e buscar dar visibilidade às agendas dos setores produtivos para a retomada do crescimento econômico do Rio de Janeiro.

A cobrança do Imposto sobre Serviço (ISS) acrescido do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) nesse cenário de pandemia mundial causado pela covid-19 preocupa o presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Estado do Rio de Janeiro (TI Rio), Benito Paret. "Em relação à questão tributária, temos que ficar atentos à entrada em vigor da cobrança do ICMS sobre nossas empresas. Nós gostaríamos de propor que houvesse uma discussão junto a Comissão de Ciência e Tecnologia e a Comissão de Orçamentos da Alerj sobre esse problema da bitributação", comentou.

Durante a reunião, a presidente da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação (Assespro-RJ), Maria Luiza Reis, apresentou uma pesquisa realizada pela associação com o intuito de mapear o cenário enfrentado pelas empresas de tecnologia do estado diante da crise instaurada pela pandemia. A pesquisa revelou que 53,3% das empresas associadas à Assespro-RJ irão adiar o pagamento de tributos.

"A redução do ISS e o adiamento do pagamento do Imposto de Renda foram pontos cruciais na pesquisa que fizemos. É importante também que as empresas optem pela preservação do ecossistema do trabalho. Nossa campanha orienta as empresas que têm condições de manter os contratos, tanto com funcionários quanto fornecedores", defendeu Maria Luiza.

Para a secretária-geral do Fórum, Geiza Rocha, a reunião serviu para que as demandas do setor de Tecnologia e Informação fossem discutidas e as informações pudessem ser colocadas à disposição da Alerj. "Objetivo do Fórum ao promover esses debates é direcionar o parlamento à visão do setor e principalmente dar visibilidade as agendas para a retomada do crescimento econômico no estado do Rio de Janeiro. Nossa expectativa é de que uma vez definida as temáticas, as comissões permanentes possam absorvê-las", disse Geiza.

 

 

FacebookTwitterGoogle+ Email