PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

05.07.2018 - 14:48 Por Vanessa Schumacker

GOVERNADOR AUTORIZA CONVOCAÇÃO DE PMS APROVADOS EM CONCURSO DE 2014

1/1
  • Por Rafael Wallace
    Deputados participam da assinatura do decreto de convocação dos aprovados no concurso público da PM
  • Por Rafael Wallace
    Deputados participam da assinatura do decreto de convocação dos aprovados no concurso público da PM
  • Por Rafael Wallace
    O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), e deputados de diversas bancadas participam da assinatura do decreto de convocação dos aprovados no concurso público da PM
  • Por Rafael Wallace
    O presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), e deputados de diversas bancadas participam da assinatura do decreto de convocação dos aprovados no concurso público da PM
  • Por Rafael Wallace / Alerj
    Deputados participam de assinatura do decreto de convocação dos aprovados no concurso público da PM.

O Estado do Rio contará com mais 1.373 policiais militares para o próximo ano. O governador Luiz Fernando Pezão assinou, nesta quinta-feira (05/07), o decreto que autoriza a convocação dos aprovados no último concurso para a Polícia Militar, realizado em 2014. Os novos PMs serão convocados por turmas, cada uma com 500 alunos, conforme colocação no concurso. De acordo com o governador, a previsão é que, em 2019, após a conclusão do curso de preparação, os 1.373 policiais já estejam atuando em diversas regiões do estado.

O presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT), lembrou durante o evento que esse foi um trabalho realizado por deputados da base do governo e da oposição para beneficiar a população. "Não fugimos do nosso compromisso. Desde o fim de 2016, a Alerj vem votando medidas duras para ajudar o estado a sair da crise. Em 2017, ao som de bombas de gás lacrimogêneo e com o Palácio Tiradentes cercado, votamos projetos para que o Rio pudesse aderir ao Plano de Recuperação Financeira, o que nenhum outro estado conseguiu. Hoje é uma vitória participar da assinatura desse decreto. Precisamos cuidar dessa área que precisa tanto de atenção", disse Ceciliano.

Pezão exaltou o trabalho feito em parceria com o Parlamento fluminense. "Tivemos que tomar medidas duras para a aprovação do Plano de Recuperação Fiscal. Outros três estados tentaram e não conseguiram e isso mostra o quanto a Alerj foi imprescindível', afirmou. Pezão disse ainda que o estado está começando a "colher os frutos". "Colocamos os salários em dia, estamos retomando obras importantes e fazendo diversos investimentos no interior e na cidade do Rio. Se a Alerj não tivesse atuado com o governo, hoje eu não poderia estar aqui contratando policial", concluiu.

A assinatura aconteceu no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, e contou ainda com a presença do vice-governador Francisco Dornelles, do secretário de Estado de Segurança, general Richard Nunes, e do chefe do Estado-Maior da PM, coronel Luiz Henrique, dentre outros representantes. Os deputados Martha Rocha (PDT), Zaqueu Teixeira (PSD), André Lazaroni (MDB) e Marcio Canella (MDB) também estiveram presentes durante a assinatura do decreto.

Prioridade

Pezão disse que a área de segurança é prioridade do governo e destacou que o concurso deve ser renovado até a próxima gestão, mas que pode haver novas convocações ainda este ano. "Quatro mil candidatos foram aprovados no certame e além dos 1.373 novos convocados, outros 1,3 mil já ingressaram na corporação, em 2016. Ainda temos policiais para serem contratados desse concurso, e se tiver mais vagas, até o fim do ano, contrataremos" afirmou.

O general Richard Nunes disse que a chamada dos policiais vai ajudar a resolver uma das principais necessidades da área, que é a recuperação do efetivo. "Precisamos restabelecer a regularidade com concursos anuais. É melhor contratar poucos a cada ano do que muitos de uma vez, isso rejuvenesce a polícia", disse o secretário de Segurança.

O governador afirmou que as convocações foram necessárias devido à perda de pessoal, tanto nas aposentadorias quanto nas mortes dos agentes - desde 2014 mais de 500 PMs foram assassinados no estado. "Tudo é contabilizado. São cerca de 2,2 mil que se aposentam anualmente ou que morrem. Pra nós, é um peso. Mas estamos evoluindo no comprometimento da folha de ativos, inativos e pensionistas. Tenho certeza de que vamos entregar um estado muito melhor na área de Segurança", disse.

Investimentos em Segurança

Durante o evento, Pezão fez questão de divulgar outros dados que sinalizam investimentos na área da Segurança. Para reforçar a frota da Polícia Militar, de acordo com o governo, foram entregues 580 carros, que custaram R$ 37,6 milhões aos cofres estaduais. A PM já fez outro pregão eletrônico destinado à compra de 170 viaturas pick-ups no valor de R$ 24 milhões, que serão entregues nos próximos meses.

O governo ainda liberou R$ 93 milhões para a recuperação e manutenção contínua de toda a frota da corporação no decorrer deste ano. Estão sendo reformados 748 veículos em 60 oficinas credenciadas em todo o estado. A recuperação e manutenção da frota também são resultado de licitação, aprovada pelo Tribunal de Contas do Estado.

Outro investimento do Governo do Rio na área de Segurança, o Regime Adicional de Serviço (RAS) foi pago por meio da Secretaria de Fazenda, nesta segunda-feira (02/07), à Polícia Militar. Trata-se do RAS compulsório, relativo ao mês de maio, pago a 11.904 policiais, num total de R$ 1,883 milhão.

A retomada do pagamento do RAS - hora extra dos profissionais da Segurança - ocorreu na segunda quinzena de maio. Em fevereiro, o Governo do Rio havia quitado dívidas do RAS e do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) no valor de R$ 23 milhões.

No fim de maio, o Estado pagou ainda a última parcela referente ao Sistema Integrado de Metas (SIM) pendente aos servidores da área de Segurança, no valor total de R$ 71 milhões.

FacebookTwitterGoogle+ Email