Compartilhar
SIDERÚRGICA DO ATLÂNTICO VAI GERAR 18 MIL EMPREGOS NA ZONA OESTE

SIDERÚRGICA DO ATLÂNTICO VAI GERAR 18 MIL EMPREGOS NA ZONA OESTE Em entrevista à TV Alerj (canal 12 da NET), nesta segunda-feira (21/03), o presidente da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), Aristides Gambelini, ressaltou a importância da construção do complexo siderúrgico na Zona Oeste do Rio, que prevê investimentos de R$ 9 bilhões e a criação de três mil empregos diretos e 15 mil indiretos. Para ele, a região próxima ao porto de Sepetiba reúne as melhores condições logísticas para a produção e distribuição de aço. "Temos redes ferroviárias que podem ligar de maneira rápida nosso produto final aos navios. Além disso, a região possui mão-de-obra qualificada. Estamos muito otimistas com o desenvolvimento macroeconômico da região", afirmou. Aristides, que tem presença garantida na palestra que o secretário de Desenvolvimento do Estado, Humberto Mota, fará no próximo dia 30, às 10h, no plenário Barbosa Lima Sobrinho da Alerj, sobre o novo surto desenvolvimentista do Estado do Rio de Janeiro e o futuro da economia fluminense, também falou sobre a importância da participação mais efetiva do Brasil nas exportação de aço no mundo. "Nossa meta, com a construção do complexo, é exportar 100% de nossa produção. Isso vai representar R$ 1,6 bilhão por ano, ao preço de US$ 350 dólares/tonelada", anunciou. Ainda em fase de estudos, as obras devem começar no final deste ano. Resultado de uma parceria entre a Companhia Vale do Rio Doce e a Alemã Thyssen-Krupp Stahl, a CSA pretende, somente com o início das obras, gerar cerca de 8 mil empregos.

«« Fechar »»


   © Copyright 2010 Alerj