Francisco Torres

Paulo Francisco Torres (1903- ? ) nasceu em Cantagalo (RJ). Participou como praça das revoltas tenentistas. Em 1938, foi nomeado pelo interventor Amaral Peixoto prefeito de Teresópolis, cargo que exerceu até o ano seguinte. Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) participou da campanha da Itália, integrando a Força Expedicionária Brasileira (FEB). Ocupou a chefia do Departamento Federal de Segurança Pública de agosto de 1954 até março de 1955.

Nomeado governador do Acre, deixou o cargo em abril do ano seguinte. Em 3 de maio de 1964, já sob o governo militar, foi eleito por via indireta governador do estado do Rio de Janeiro. Deixou o cargo em 1966 para candidatar-se ao Senado. Com a extinção dos partidos políticos existentes e a implementação do bipartidarismo em outubro de 1965, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena). Eleito senador pelo Rio de Janeiro, tentou a reeleição em 1974, mas foi derrotado pelo candidato do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Saturnino Braga. Em 1978 elegeu-se deputado federal pelo novo estado do Rio de Janeiro, ingressando no Partido Popular (PP), que mais tarde se incorporaria ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). No pleito de 1982, voltou a concorrer a uma cadeira na Câmara, conseguindo apenas uma suplência.


Fontes: ABREU, Alzira de & BELOCH, Israel (coords.). Dicionário histórico-biográfico brasileiro:1930-1983. Rio de Janeiro. Ed. Forense Universitária: FGV/CPDOC: FINEP, 1984, v.4. LACOMBE, Lourenço Luiz. Os chefes do executivo fluminense. Petrópolis:Vozes, 1973.


[ volta ]  [ sobe ]