PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

08.04.2021 - 13:41 Por Natasha Mastrangelo

FÓRUM DA ALERJ: BOAS PRÁTICAS PRODUTIVAS GARANTEM LATICÍNIOS DE QUALIDADE NO ESTADO DO RIO

  • Por Reprodução da internet

Encontro virtual realizado nesta quinta-feira (08/04) reuniu especialistas para troca de informações

A qualidade dos queijos e demais laticínio que chegam às prateleiras dos supermercados depende da adoção boas práticas ao longo da cadeia produtiva. Essa troca de informação sobre o processo foi tema de debate virtual realizado nesta quinta-feira (08/04) pelo Fórum da Alerj de Desenvolvimento Estratégico. A proposta do encontro foi contribuir para a construção e a implantação de melhores técnicas entre os empresários do setor. O debate foi transmitido pelo canal do Fórum no Youtube.

O coordenador de Programas Especiais do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Maurício Salles, apresentou o Programa de Qualificação de Fornecedores de Leite, iniciativa que oferece consultoria aos produtores ligados à agroindústria de forma gratuita e já atendeu mais de 200 propriedades no estado.Ele é a estratégia do Senar-Rio para viabilizar as ações previstas no Plano de Qualificação de Fornecedores de Leite (PQFL) elaborado pelo Ministério da Agricultura.

Outra iniciativa de sucesso foi a implementação do programa PAS Leite em algumas regiões do estado. O objetivo do programa é qualificar fornecedores de leite e atender as normativas para a produção. O gerente de Produtos de Origem Vegetal da Coordenação de Inspeção Agropecuária do Instituto de Vigilância Sanitária, Fabrini Monteiro, afirma que a implementação da metodologia é uma forma de conscientizar e capacitar produtores e colaboradores para uma produção segura e de qualidade.

“Aumento da qualidade do produto, maior tempo nas prateleiras, aumento do seu potencial de comercialização são algumas das vantagens de implementar o programa. É importante que haja um controle de toda cadeia produtiva. Só conseguimos construir uma produção segura, com qualidade e lucratividade quando a cadeia trabalha em comum acordo. O crescimento hoje é conjunto”, explicou Fabrini.

Para a secretária-geral do fórum, Geiza Rocha, o debate é fundamental para entender o alcance do setor rural e evidenciar o potencial do agronegócio no Rio de Janeiro. “Existem diversas ações para melhorar e potencializar nossa produção. O Rio é o segundo maior consumidor de lácteos do país, então nada mais importante que aumentar a qualidade dos nossos produtos”, enfatizou.

Da mesma forma, Dan Strogin, consultor do Tudo na Linha, destacou que a busca da qualidade tem que ser uma preocupação em todas as fases do processo produtivo. “Somente um bom leite pode fazer um bom queijo. As boas práticas precisam se tornar nossa principal ferramenta para garantir alimentos seguros e saudáveis”, afirmou.

FacebookTwitterGoogle+ Email