PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

16.04.2019 - 17:14 Por Leon Lucius

COMISSÃO DE MODERNIZAÇÃO DO LEGISLATIVO ACOMPANHA REFORMA DA NOVA SEDE DA ALERJ

1/1
  • Por Rafael Wallace
    Visita dos deputados ao Edifício Lúcio Costa
  • Por Rafael Wallace
    Os deputados Alexandre Knoploch (PSL), Gustavo Tutuca (MDB) e Jorge Felippe Neto (PSD), juntamente com o Diretor-geral da Alerj, Wagner Victer, acompanham as obras na futura sede da Alerj
  • Por Rafael Wallace
    Os deputados Alexandre Knoploch (PSL), Gustavo Tutuca (MDB) e Jorge Felippe Neto (PSD), juntamente com o Diretor-geral da Alerj, Wagner Victer, acompanham as obras na futura sede da Alerj
  • Por Rafael Wallace
    Os deputados Alexandre Knoploch (PSL), Gustavo Tutuca (MDB) e Jorge Felippe Neto (PSD), juntamente com o Diretor-geral da Alerj, Wagner Victer, acompanham as obras na futura sede da Alerj
  • Por Rafael Wallace
    Os deputados Alexandre Knoploch (PSL), Gustavo Tutuca (MDB) e Jorge Felippe Neto (PSD), juntamente com o Diretor-geral da Alerj, Wagner Victer, acompanham as obras na futura sede da Alerj
  • Por Rafael Wallace
    Os deputados Alexandre Knoploch (PSL), Gustavo Tutuca (MDB) e Jorge Felippe Neto (PSD), juntamente com o Diretor-geral da Alerj, Wagner Victer, acompanham as obras na futura sede da Alerj

Reforma prioriza a modernização, a economia de gastos e o reaproveitamento de materiais

Reaproveitamento, modernização e economia. Não há palavras melhores do que essas para resumir a reforma que acontece no Edifício Lúcio Costa, futura sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Nesta terça-feira (16/04), os deputados da Comissão Especial de Modernização do Legislativo foram recebidos pelo diretor-geral da Casa, Wagner Victer, para acompanhar o andamento das obras, que contam com a reutilização de materiais e equipamentos do antigo edifício, a implementação de um sistema de reaproveitamento de água e a modernização das formas de acesso ao Parlamento.

Pelos corredores do que será a nova Alerj, é possível observar painéis feitos com madeira de jacarandá e pisos de granito preto, tudo reaproveitado do antigo prédio, que pertencia ao governo fluminense e abrigou o extinto Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj). “Tudo o que podíamos aproveitar foi utilizado”, comentou o diretor-geral da Casa. “Também temos uma estação de tratamento, que vai reaproveitar a água da chuva, do subsolo, dos ares-condicionados e dos lavatórios. Além disso, utilizamos as janelas originais do prédio, que também ajudam no aproveitamento de luz por meio de um sistema de persianas”, destacou Victer.

A futura sede ainda contará com um sistema de controle de acesso mais moderno, com uso de crachás eletrônicos e equipamentos de raio-x. A condução da reforma recebeu elogios do deputado Alexandre Knoploch (PSL), presidente da comissão, que vem reunindo ideias de melhorias para a Casa, visando a modernização da atuação parlamentar. “Em relação ao que vínhamos discutindo, não há nada no prédio que deixe a desejar. Acredito que a Alerj poderá contribuir ainda mais para a sociedade e que daremos grandes passos. Estou muito satisfeito”, declarou.

Os deputados Gustavo Tutuca (MDB) e Jorge Felippe Neto (DEM) também conheceram o edifício, que reunirá departamentos que hoje estão divididos em diferentes prédios. O diretor Wagner Victer explicou que a economia também está no valor aplicado na reforma, totalmente custeada com recursos economizados pela Casa. “Foi investido cerca de R$ 150 milhões, com um aditivo de apenas 6%, percentual bem inferior ao permitido neste tipo de licitação. Se tivéssemos que construir ou comprar um prédio novo como este, gastaríamos algo em torno de R$ 450 milhões”, lembrou. A expectativa é que a transição para o novo prédio comece no fim deste ano.

FacebookTwitterGoogle+ Email