PUBLICAÇÕES

NOTÍCIAS
VOLTAR

FacebookTwitterGoogle+ Email

09.08.2017 - 18:45 Por Julieta Casara

COMISSÃO DEBATE SITUAÇÃO DO ENSINO DE ARTES NAS ESCOLAS

  • Por Octacílio Barbosa

A Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) vai criar um grupo de trabalho para discutir a situação do ensino de arte na rede pública do estado. A informação foi divulgada durante a audiência pública da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realizada nesta quarta-feira (09/08). A principal preocupação dos docentes é que a aula de artes deixe de ser obrigatória no currículo e que a crescente desvalorização da disciplina resulte em seu desaparecimento.

“É importante valorizar o movimento de artes dentro das escolas, uma disciplina fundamental para a formação intelectual do ser humano. A audiência alcançou seu objetivo, a Secretaria se comprometeu a criar um grupo de trabalho com esses professores e creio que teremos um entendimento”, comemorou o presidente da comissão, deputado Comte Bittencourt (PPS).

A superintendente de pedagogia da Seeduc, Carla Betânia afirmou que a arte é especial na proposta pedagógica da pasta. “A disciplina nunca vai ser retirada do currículo escolar. Lamentamos as dificuldades causadas pela realidade complicada em que o estado se encontra”, afirmou.

Aula de artes no Ensino Médio

Até 2012, a disciplina era obrigatória em todos os anos, até que foi determinado que somente o ensino fundamental e o 2° ano do ensino médio teriam aulas de artes. Outra questão que preocupa os docentes é a recente proposta da Seeduc de transferir a aula no ensino médio, do 2° para o 3° ano, abrindo uma lacuna de um ano, em que os professores desse segmento não teriam turmas para dar aula, já que os alunos que estão indo para o 3° ano, já tiveram essa aula no ano anterior.

A subsecretária de Gestão e Ensino, Patricia Alexandre, explicou que essa indagação está sendo discutida e será pensada da melhor forma possível. “Vamos convidar os professores para que juntos, no grupo de trabalho, definamos como eles seriam alocados no caso da consolidação da proposta de mudança.”

Ligia Mefano, professora de artes e integrante do coletivo de professores Arte Mudança Já, considera a Seeduc autoritária e não concorda com as mudanças de 2012 e nem com as propostas para o ano que vem. “Não é possível os alunos terem aula somente em um ano do ensino médio. A medida é prejudicial tanto para a vida funcional dos professores, quanto para os alunos, que ficam sem aulas da disciplina durante dois anos. Além disso, essa nova mudança pode levar com que os professores de artes fiquem sem trabalhar por um ano, já que os alunos que chegarão ao terceiro ano, já teriam cursado a matéria no ano anterior”, ressaltou a professora.

Durante a reunião também foram apresentados pelos professores uma série de demandas, entre elas que as escolas tenham salas e materiais apropriados para a disciplina, e que a mesma seja praticada apenas por professores licenciados na área. Outras reivindicações são que os profissionais tenham matrícula única em uma instituição de ensino.

Também estiveram presentes na reunião os deputados Tio Carlos (SDD), Eliomar Coelho (Psol), Waldeck Carneiro (PT), Dr. Julianelli (Rede), Paulo Ramos (Psol), e representantes do Sindicado Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) e da União dos Professores Públicos do Estado (Uppes).

FacebookTwitterGoogle+ Email